sexta-feira, 8 de abril de 2016

História do Batata Frita Moto Grupo.

História de como surgiu o Batata Frita Moto Grupo.

No Bahia Moto fest de 2008 eu levantei uma conversava com alguns amigos criticando que era errado alguns MC’s que tinham nome bonito, brasão bem desenhado, estatuto e até CNPJ, mas só tinha uma pessoa ou no máximo duas (geralmente a esposa garupa).  No final da conversa em tom de brincadeira eu disse que também faria o meu MC só pra mim, já dando risada, nessa um dos amigos rindo me pergunta “qual vai ser o nome” eu de imediato respondi a primeira besteira que me veio a mente “batata frita moto CLUBE”. Demos muitas risadas e mudamos de assunto.

Anos depois no meu penúltimo semestre de Direito, fazendo meu TCC, cujo o assunto era  a “influencia dos blogs na pirataria”, resolvi abrir três blogs como experiência cientifica social, um sobre corretagem de imóveis (minha então profissão), o segundo sobre advocacia (minha profissão futura) e um outro sobre motociclismo na intenção de compartilhar fotos de motos personalizadas. O trabalho de final de curso da faculdade evoluiu para Direitos Autorais.

O Blog sobre corretagem de imóveis deu tão certo o resultado que a imobiliária decidiu evoluir para um site profissional.

O Blog sobre advocacia só fiz uma postagem “como dar nó em gravata” foi a melhor postagem na internet sobre o assunto durante alguns anos, depois algumas fabricas de gravata resolveram investir no assunto e fizeram excelentes vídeos.

O Blog sobre motos não tinha nome então eu me lembrei da brincadeira de anos atrás e pus quase o mesmo nome só troquei o CLUBE por GRUPO. Fiz isso pois clube é coisa séria e grupo não. Clube tem toda uma questão de responsabilidade (função social, sede, obrigação de suporte, mensalidade e etc)  que os grupos não tem e nem querem ter. Apesar de ter vários MC’s que mais se assemelham a MG’s,  assim como MG’s que são mais clubes que muitos MC’s por ai.

Durante o período em que eu postava semanalmente cheguei a ter uma média de mais de 5.000 acessos ao blog em um mês. Depois de dois anos sem fazer novas postagens fui ver o blog e me surpreendi ao ver que ele continuava com uma média de 2.000 visitações ao mês mesmo sem novas postagens já a mais de dois anos. Resolvi voltar a postar mesmo sem a mesma freqüência de antes, levando meses entre uma postagem e outra.  Abri uma pagina no Facebook onde eu coloco o link das novas postagens para as pessoas que acompanham o blog  não fiquem entrando a toa no blog, recebendo no seu face quando acontece uma postagem nova no blog. Sem falar de coisas aleatórias que eu acabo compartilhando no face (eventos e etc).

Após o fim do MG que eu fazia parte resolvi fazer o patch do Batata Frita Moto Grupo com o endereço do blog. Ironicamente, anos depois, eu fiquei a apenas um único e pequeno passo de virar exatamente o que eu criticava quando pensei no nome Batata frita para um MC. Fiz inclusive um mini patch de “MI” para mostrar que eu estava sozinho no MG, mas infelizmente a maioria dos “motociclistas” não sabe “ler um colete”... acabei tirando o “MI” pra não ficar perdendo o meu tempo explicando o que para mim, e outros mais experientes, era obvio.

O patch original não seria algo bobo e obvio como um porta batata-frita. Eu achei na internet uma montagem do personagem Coringa, inimigo do Batman da DC Comics, interpretado pelo ator Heath Ledger com as cores do Ronald da McDonald’s. Já estava conversando com um amigo designer para fazer algumas modificações em cima dessa montagem. Trocaria o amarelo ouro por amarelo trator (mais escuro), o vermelho em vinho e colete seria preto (referencia aos coletes de couro) ou azul (referencia aos coletes jeans).

Esse patch não foi concluído pois na época vazou uma cartilha dos guardas penitenciários traduzindo as tatuagens de presídio e a pior tattoo era justamente de palhaço do mal que significa assassino de policial. A pesar de patch e tatuagem serem coisas distintas elas acabam sendo muito próximas pois é muito comum motociclistas tatuarem os patchs de seus MC’s. Então achei melhor não fazer esse patch e por falta de opção melhor fiz um patch de porta batata frita, trocando a clássica cor vermelha usada por quase todas as lanchonetes por preto e por falta de habilidade para fazer um desenho com profundidade todo preto também acrescentei a cor cinza.

O patch de porta batata frita acabou sendo uma enorme e feliz surpresa por ser um “ponto fora da curva”, por ser um patch divertido e não agressivo fugindo dos clichês de animais ferozes, caveiras e etc... acabou sendo um fator agregador, acolhedor e bem humorado. Por diversas vezes, pessoas de fora do nosso meio, me escolhem para conversar e tirar duvidas justamente por fugir um pouco do estereotipo “easy-rider-bad-boy”. A alegria das crianças, inclusive filhos de amigos de MC’s grandes a nível nacional e internacional, ficam extremamente felizes ao ganhar um botton ou adesivo do BFT-MG. Dessa alegria eu não abro mão nunca mais.

Com a possibilidade de abrir o BFT-MG para novos integrantes estou mudando o patch para algo mais tradicional, sem o endereço do blog, apenas o nome pessoal na parte de cima e a cidade e o estado na parte de baixo.


Bora Rodar Meu Povo!!!






quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Intruder 250 personalizada Scramble

Na Asia, não lembro exatamente o país, fabricam esse mode Scramble da Intruder 250. Eu achei o tanque pequeno mas fora isso eu achei sensacional. 















Intruder 250 personalizada Guerra




Intruder 250 personalizada Guerra







Intruder 250 personalizada Scramble


Intruder 250 personalizada Chopper bober


Intruder 250 personalizada Banda Azul

Na verdade essa banda não é azul, é so o plastico q cobre a banda branca, mas fica a a idé ia.




Sistema Elétrico da Intruder 250